Hubert de Givenchy

A história por trás de Givenchy

Compartilhe

Sendo uma das mais sofisticadas marcas do mundo, a GIVENCHY carrega uma trajetória de décadas, recheadas de inovações, prestígio e muita elegância. Ela começou com o estilista que tornou o sobrenome sinônimo de requinte, luxo e fragrâncias apaixonantes: Hubert de Givenchy. O profissional representou uma quebra de monopólio na década de 50, quando abriu sua própria maison em Paris, oferecendo criações com tecido de camisaria, tornando-se um grande sucesso. Não parou por aí. Lançou coleções, tendências e revolucionou o mercado de perfumes. Em Março deste ano, o estilista morreu, aos 91 anos.

Tudo começou quando Hubert de Givenchy, aos 17 anos, decidiu frequentar a Escola de Belas Artes de Paris. No entanto, sua paixão desabrochou sete anos atrás ao visitar uma exposição de figurinos mais famosos de estilistas franceses. Amor à primeira vista. Já na Escola, Givenchy foi assistente de Jacques Fath, Robert Piguet, Lucien Lelong e Elsa Schiaparelli. Depois de tanto aprendizado e referências da alta-costura, Givenchy criou as próprias asas e voou.

O voo de Givenchy

A história de Givenchy (Arquivo)
A história (Arquivo)

Uma das características de Givenchy era a inspiração em personalidades. Não por acaso, a blusa Bettina, em homenagem à modelo Bettina Graziani e uma de suas primeiras criações, é um dos maiores sucessos do estilista francês. A blusa tinha gola larga e aberta, e mangas que terminavam em babados de bordado inglês. Logo depois, o profissional se consolidou na alta-costura.

Mais tarde, em 1953, o estilista conheceu a atriz Audrey Hepburn, que usou vestidos criados por ele em filmes, como Sabrina (1954) e Cinderela em Paris (1957). Assim, o francês tornou-se cada vez mais conhecido e prestigiado no segmento. Hepburn, que virou amiga do profissional, solicitou que o seu guarda-roupa fosse composto por criações dele em todos os filmes. “Foi uma espécie de casamento”, chegou a declarar o estilista ao Telegraph sobre a relação com a atriz.

Audrey Hepburn. inspiração de Givenchy (Arquivo)
Audrey Hepburn. inspiração de Givenchy (Arquivo)

A inspiração de Hubert de Givenchy não parou em vestir grandes personalidades. Além de criar peças independentes e ser o primeiro estilista de alta-costura a apresentar uma coleção de prêt-à-porter feminino, a marca lançou o seu primeiro perfume feminino, chamado de Le De, vendido a poucos seletos clientes. Depois, em 1957, em homenagem à amiga e atriz Audrey Hepburn, criou a fragrância L’Interdit. Não parou mais. Diversificou e desenvolveu o seu primeiro perfume masculino, o Monsieur Givenchy (1959).

Anos depois, a coleção de perfumes foi comprada pelo grupo LVMH, atual proprietário da GIVENCHY. O estilista, por sua vez, se despediu das passarelas em 1995, em um desfile para poucos, deixando legado para a marca que hoje é uma das mais renomadas e prestigiadas.

Em março de 2018, a família anunciou a morte do estilista, aos 91 anos. “É com grande tristeza que Philippe Venet comunica a morte do Sr. Hubert Taffin de Givenchy, seu companheiro e amigo. Morreu durante o sono no sábado, 10 de Março de 2018. Os seus sobrinhos e sobrinhas e os filhos destes partilham a sua perda”, dizia o comunicado da família, citado pela revista Madame Figaro.

Hubert de Givenchy
Hubert de Givenchy Imagem: Getty Images

A marca

Após a saída de Hubert de Givenchy, a marca passou por diversas reformulações, entre elas as contratações de John Galliano, depois Alexander McQueen e, por último, Julien MacDonald. Em 2005, o italiano Riccardo Tisci chegou à companhia, com a proposta de manter viva a tradição. Já no ano passado, Tisci deu lugar à Claire Waight Keller, que se tornou a nova diretora criativa e estuda lançar a nova coleção em 2018.

Nas redes sociais, a marca lembra do criador como “uma grande personalidade do mundo da alta-costura francesa e um cavalheiro que simbolizou o chique e a elegância parisienses por mais de meio século”.

Apesar da marca ser prestigiada pelas criações da alta-costura, as coleções de perfume estão no histórico da Givenchy. A fragrância Amarige, lançada em 1991, ainda sob comando do estilista, ainda é um dos ícones da francesa. A cada ano a companhia surpreende seus consumidores com lançamentos que conquistam e apaixonam, mantendo os princípios deixados pelo criador.

Aaron Taylor-Johnson
Aaron Taylor-Johnson

O (re)lançamento de Givenchy Gentleman

Em 2017, a Givenchy reinterpretou a fragrância do perfume masculino Gentleman Givenchy. Originalmente, ele foi lançado em 1975, como um perfume audaz, quente, amadeirado e especiado.

Gentleman Givenchy

A reinterpretação sob nome de Givenchy Gentleman pretende proporcionar uma fragrância, mesmo com referências da anterior, inédita. Criada por Olivier Cresp e Nathalie Lorson, é descrita como uma mistura de “poder e doçura”. Ela inclui tons frutais, florais, amadeirados e de couro.

Para dar rosto ao lançamento, a marca escolheu o ator britânico Aaron Taylor-Johnson para estrelar a campanha.

Comentários ()